Dia de Luta das Mulheres

No dia 08 de março Isabela e outras mulheres também ganharão flores, mas em formato de coroa, e não sentirão o perfume.

Não há o que comemorar. Não faz muito sentido comemorar enquanto muitas de nós morremos e somos agredidas por sermos mulheres.

Brindar o que? Conforme estudo realizado, 107 feminicidios foram registrados apenas nas três primeiras semanas de 2019.

Isabela foi mais uma. Teve 80% do corpo queimado pelo namorado. Geralmente, a agressão vem de homens que deviam zelar e respeitar a vítima. Maridos, namorados, padrastos que machucam, humilham, torturam, estupram…

Mulheres mortas ou agredidas estampam todos os dias o noticiário. Mortas a facadas na festa ou depois de 30 anos de casamento, agredidas brutalmente no primeiro ou décimo encontro, atiradas do quarto andar, estupradas pelo irmão mais velho, sujas de sêmen no transporte público. São agredidas pelo namorado bandido, pelo marido policial, pelo pastor da igreja ou abusadas pelo padre no convento.

A morte é a última consequência, mas quantas mortes de alma são contabilizadas? Quantos gritos? Quanto medo? Quanta dor, desespero, pavor, nojo, crueldades, depressões e síndromes do pânico?

Quem repara? Nenhuma flor repara tanto dano.

O Dia Internacional da Mulher só valerá a pena existir quando nossos NÃO’S forem respeitados, nossos corpos serem preservados da possessividade, da violência, do ódio, do desejo psíquico, das mentes doentias, dos impulsos desses selvagens, do ciúmes e da barbárie.

Nós mulheres somos lindas, somos foda e merecemos mesmo muitas homenagens. Mas, não só no dia 08 de março. Merecemos ser apoiadas, respeitadas, ouvidas, admiradas, compreendidas, incentivadas e amadas de forma justa – TODOS OS DIAS.

Merecemos e precisamos ser unidas. Precisamos rasgar todos os panos que possam ser passados para embustes agressores.

Precisamos lutar contra a impunidade e NUNCA, JAMAIS julgarmos uma mulher agredida ou morta pelo patriarcado.

Precisamos reconhecer nossos direitos, principalmente, a liberdade. Somos livres para amar, desejar e demonstrar nossos afetos. Livres pra realizar nossos sonhos, usar a roupa que quisermos, onde sentirmos vontade e livre pra expressar o que sentimos.

Precisamos entender que o trabalho do lar NÃO é uma obrigação exclusivamente nossa, que NÃO fizemos nossos filhos sozinhas, que um empurrão é agressão, um “cala a boca” é violência verbal e o sexo iniciado enquanto dormimos é estupro.

Será que o “Dia Internacional da Mulher” não deveria se chamar “Dia Mundial de Luta das Mulheres”?

Será que esse dia deveria mesmo existir?

Deveria sim. É um dia lindo, mas só será celebrado verdadeiramente no dia em que Isabelas, Marias, Eduardas, Elisas, Amandas e Marielles não serem vítimas de agressão, machismo, menosprezo, humilhações, falta de reconhecimento, desrespeito, justiça falha e feminicidios.

Não queremos um dia de homenagens. Queremos uma vida de dignidade, amor e valorização do que somos e representamos.

Não queremos flores. Queremos respeito!

Mas, o dia 08 tá chegando. Precisamos desejar força às famílias que choram pela perda de uma mulher vítima de feminicidio ou violência.

Precisamos dizer:
Descanse com Deus, Isabela. Não descanse, justiça. “Respeita a coleguinha” aos nossos meninos. E “Não aceite que te façam isso, isso ou aquilo” às nossas meninas.

Florescer é lindo 🌹, mas também é preciso resistir 💪🏽.

Feliz Dia de Luta a nós! ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s